PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Os 8 momentos mais insanos da história do Game Awards

Victor Bianchin

12/12/2019 10h47

Ah, o Game Awards. Aquele evento cheio de boas intenções e restrições orçamentárias que todo mundo assiste não pelos prêmios, mas pelos anúncios de novos games, que costumam ser vazados pelo próprio staff horas antes da cerimônia.

É o mais próximo que nós temos do Oscar, embora exista um certo abismo entre as duas coisas. O Game Awards, pelo menos, é mais informal e divertido.

Confira 8 vezes em que o evento nos fez coçar a cabeça e pensar "que diabos estou assistindo?".

1) Joel McHale apresentando o evento p*** da vida (2013)

Até o ano de 2013, o Game Awards se chamava Spike Video Game Awards porque era transmitido ao vivo pelo canal de TV americano Spike. Na última premiação realizada sob a tutela do canal, chamada naquele ano de VGX, o evento tentou inovar trazendo o ator e comediante Joel McHale para apresentar o evento junto ao mestre de cerimônias de sempre, Geoff Keighley.

Isso se provou uma péssima decisão, já que McHale estava claramente decepcionado com o amadorismo da produção e passou todo o evento fazendo piadas depreciativas com o Game Awards e com os convidados.

Eis algumas pérolas:

"Olá, bem-vindos ao nosso set. Ele é feito de metal barato."

"Eu vou ficar me mexendo o tanto quanto o câmera se mexer. Como se eu estivesse mais bêbado do que já estou."

"Bem-vindos à hora três da VGX. É difícil acreditar que, apenas quatro horas atrás, minha esposa teve que me acordar de um torpor induzido por bebida e pílulas para me lembrar que eu achei uma ótima ideia apresentar um negócio nerd ao vivo."

"Tem sido uma noite incrível. Eu não tuito e faço streaming tanto assim desde aquela vez em que comi aqueles mexilhões estragados."

Além desse show de simpatia, o evento também teve o grupo humorístico Loiter Squad (do qual fazia parte Tyler, the Creator) com algumas entradas ao vivo e mandando MUITO mal na improvisação. Foi um festival de cringe pra todo lado.

E é claro que está tudo no YouTube:

McHale foi chamado de volta na cerimônia de 2018 para apresentar um prêmio e disparou: "uau, não acredito que vocês me chamaram de novo". Realmente.

2) O anúncio de Rock Band VR (2015)

Não existe nada pior do que esses comerciais em que o "dono da firma" é escolhido como garoto-propaganda da marca. Por algum motivo, tem gente que parece pensar que executivos sem nenhuma experiência performática rendem cenas melhores do que atores treinados. Para cada bom comercial por aí, existem dez Véios da Havan.

No Game Awards de 2015, a Harmonix resolveu anunciar o jogo Rock Band VR com um vídeo roteirizado em que três programadores do estúdio aprendiam com a banda DragonForce a se tornarem estrelas do rock.

São dois minutos de uma história forçadíssima, atuações horríveis e piadas que não funcionam.

3) O dublador de Nathan Drake trai os coleguinhas (2016)

Em 2016, o Screen Actors Guild, sindicato que representa dezenas de milhares de atores nos EUA, anunciou uma greve de dubladores (ou "atores de voz", como são mais chamados por lá) que pedia por melhores pagamentos e condições de trabalho.

A greve era o resultado de mais de dois anos infrutíferos do SAG pedindo e negociando essas mudanças na indústria.

Uma das formas de divulgar a greve, inclusive, foi usando a hashtag #PerformanceMatters ("performance importa").

No Game Awards 2016, Nolan North, famoso por ser a voz de Nathan Drake, de Uncharted, ganhou o prêmio de melhor performance por seu trabalho no quarto jogo da franquia. Em seu discurso, ele resolveu alfinetar os colegas grevistas.

"Eu tenho ouvido muito ultimamente sobre como a performance importa", disse North no discurso. "Importa mesmo. A performance de cada designer, cada programador, cada artista, cada pessoa que trabalha duro no escritório, não só na Naughty Dog, mas em todas as desenvolvedoras com que trabalhei, mas a Naughty Dog especificamente porque estou com eles há tanto tempo, essa performance é tão importante… eles são tão talentosos, tão empenhados e… a performance deles importa mais do que a minha".

Detalhe: North fazia parte da greve. Que belo jeito de apoiar os colegas!

4) Atriz ganha prêmio pelo game errado (2015)

Em 2015, a famosa produtora de games Jade Raymond foi escolhida para anunciar o prêmio de Melhor Performance. Ela anunciou os concorrentes e o prêmio rodou a vinheta com clipes de todos os indicados, inclusive de Viva Seifert, atriz que venceu pelo trabalho no game Her Story.

Só que, na hora de anunciar a ganhadora, Jade Raymond disse "e o vencedor é… Viva Seifert, de The Witcher 3". O que aconteceu foi que um ator de The Witcher 3 também estava indicado e, no envelope, constava o nome da atriz certa com o nome do jogo errado.

Jade notou a gafe rapidamente e se desculpou a Viva Seifert quando ela subiu ao palco para pegar o troféu.

A pior parte foi que as equipes dos dois jogos estavam sentadas juntas e, quando a câmera focou na atriz Viva Seifert recebendo a notícia, foi possível notar claramente a confusão da galera ao redor. Climão!

5) SonicFox recebendo o prêmio de melhor jogador de esports (2018)

Este momento se encaixa tanto como "bizarro" quanto como "fofo", você decide qual adjetivo quer aplicar.

Em 2018, SonicFox foi o vencedor na categoria de Melhor Jogador de eSports e fez um discurso realmente marcante. Claramente excitadíssimo por receber o troféu, ele se embolou com as palavras e riu descontroladamente várias vezes. Falou sobre a infância, sobre o câncer do pai do amigo, sobre os colegas… várias linhas de pensamento ali.

Além disso, ele fez questão de dizer: "acho que tudo que tenho que dizer é que sou gay, negro e furry… basicamente tudo que um republicano odeia", trazendo um tom político para o evento (que se esforça para ser neutro, se é que isso é possível). Veja abaixo:

Muita gente criticou SonicFox pelo jeito atropelado de falar, pela duração excessiva do discurso e pela provocação política. Mas o jogador reafirmou sua posição nas redes sociais depois do evento.

6) A produção corta o som de Deadmau5 (2015)

Para uma premiação que já costuma durar quase quatro horas, não seria uma boa ideia chamar uma atração musical como Deadmau5, que faz longos sets de música eletrônica.

Mas foi exatamente isso que aconteceu. Aparentemente, a produção do Game Awards apenas ficou feliz que um artista famoso topou tocar no show e não se deu ao trabalho de realmente ouvir o trabalho do cara.

O set do artista na premiação de 2015 já passava dos 5 minutos quando a produção, provavelmente entediada até o último fio de cabelo, resolveu fazer um fade out do áudio para acabar logo com a coisa toda.

No vídeo abaixo, a partir da marca de 5:00, é possível ver o artista lentamente e dolorosamente percebendo que seus equipamentos estão sendo desligados enquanto a música vai baixando de volume.

7) Criador de A Way Out pira no palco (2017)

Josef Fares, diretor do jogo independente A Way Out, deu uma entrevista bem empolgada durante a cerimônia de 2017.

Parecendo estar num pico de adrenalina (ou de alguma outra coisa), Fares começou sua fala mencionando o prazer de estar ali e comentando "fuck the Oscars!" enquanto apontava o dedo do meio para a câmera.

O apresentador, Geoff Keighley, tentou trazer o foco da entrevista de volta para A Way Out, mas nem assim Fares se controlou. "Esse é o lance, e essa é minha ideia. Não tem nada a ver com as merdas da EA que estão rolando, com as loot boxes", disse ele, aludindo à polêmica da EA com Star Wars Battlefront II, que tinha saído naquele ano. A EA, vale dizer, também era a publicadora de A Way Out.

O resto da entrevista foi basicamente Fares gritando no microfone sobre o quanto ele amava o próprio jogo, o quanto era apaixonado pelo que faz e o quanto A Way Out é um jogo que não tem como você não gostar se jogar inteiro.

8) O mico do Hydrobot (2016)

Em 2016, uma das patrocinadoras do evento foi a Schick, fabricante de lâminas de barbear. Como forma de integrar seus produtos ao tema do Game Awards, a empresa criou o Hydrobot, um mascote robótico que tinha uma lâmina no lugar da cabeça. Pois é.

Não bastasse o personagem existir, a empresa vestiu um ator com a fantasia de Hydrobot e o colocou para andar durante o evento inteiro. O Hydrobot caminhou pelo tapete vermelho e tirou foto com celebridades como Hideo Kojima. Além disso, apareceu em vinhetas animadas que o mostravam como se fosse um personagem de jogo de luta. Veja abaixo:

Nos dias seguintes, o Hydrobot já tinha virado meme, com contas nas redes sociais espalhando piadas sobre ele. Frases ditas no evento como "Hydrobot, levando tudo para o próximo nível" e "Hydrobot fazendo de novo" ilustravam as imagens.

O fiasco de marketing foi tão marcante que o Hydrobot costuma ser lembrado como o pior acontecimento da fase atual do Game Awards, que começou em 2014. Quando é lembrado da criatura em entrevistas, o apresentador e organizador do evento Geoff Keighley costuma adotar um tom sóbrio, tipo "é, não foi uma boa ideia".

Vamos acompanhar o TGA 2019 ao vivo pelo START, torcendo por mais alguma bizarrice entre os prêmios e anúncios.

Sobre o Autor

Victor Bianchin é jornalista, já foi editor da revista Mundo Estranho e escreveu um almanaque de games. Ele tem um Rush de estimação e considera a técnica do button mashing algo subestimado.

Sobre o Blog

Em Control Freak você vai ficar por dentro das curiosidades, bizarrices e polêmicas saudáveis do universo dos games.

Control Freak