PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Surpresa desagradável: os 10 "jump scares" mais aterrorizantes dos games

Victor Bianchin

02/09/2020 09h00

Quando se trata de cinema, a tática do jump scare, ou seja, do susto inesperado que potencializa seu efeito justamente porque te pega de surpresa, já está meio desgastada. Depois da exaustiva quantidade de slashers nos anos 80 e 90, o jump scare começou a virar muleta para falta de substância.

Mas é claro que o jump scare, em si, não é uma coisa ruim. Muito pelo contrário! Quando aplicado de forma bem pensada, ele consegue transformar uma experiência de terror em uma memória marcante. Para o bem ou para o mal.

Já falamos neste blog de easter eggs macabros dos games. Confira agora 10 jump scares para os quais a gente bateu palmas depois de trocar as calças.

1) Eternal Darkness: Sanity's Requiem – A mulher na banheira

Este jump scare é a combinação perfeita de criatura aparecendo + som agudo sinistro + movimento repentino de câmera.

Perfeito para um jogo em que o mundo vai mudando conforme você perde sua sanidade.

2) Outlast – o sujeito na cozinha

Então quer dizer que você acabou de escapar de um médico maluco cortador de dedos e está se achando O cara?

Então quer dizer que você acha que estará seguro na cozinha, que é até bem iluminada? Pois bem…

3) Arkham Knight – a cremação do Coringa

Arkham Knight é um jogo cheio de sustos aqui e ali, principalmente por causa do gás do medo do Espantalho, que costuma alterar a percepção do Batman e de outros personagens. Mas a cena em questão aqui é outra.

Na abertura do jogo, vemos uma bela sequência em que o corpo do Coringa é colocado num forno para ser cremado. O close no rosto do palhaço já é perturbador em si, mas pelo menos o inimigo mortal do Batman não faz nada pra piorar as coisas.

A não ser que você jogue o New Game+. Aí o Coringa acorda da morte apenas para colocar um sorriso no seu rosto e uma marca na sua roupa de baixo.

4) Thief – A fechadura

O remake de Thief feito em 2014 deveria ser o ponto de partida para reanimar a franquia que estava dormente há 10 anos. Não foi.

Mas, pelo menos, ele nos deu essa belíssima versão do clássico jump scare da fechadura.

5) Resident Evil 2 – O Licker na sala de interrogatório

Quando se trata de jump scares dos RE clássicos, aquele que o pessoal mais lembra são os cachorros pulando pela janela no primeiro título.

É justo, afinal aquela cena, que foi inclusive subvertida no remake, é um dos momentos mais aterrorizantes do jogo inteiro.

No entanto, sanduíches de Jill à parte, este jump scare de RE2 talvez esteja à altura. Mas estamos falando do jogo clássico, não do remake.

Isso porque a câmera fixa do jogo original aumentava bastante a tensão da cena, ao passo que a câmera sobre o ombro do remake atenua um pouco o susto.

6) Five Nights At Freddy's – Quando a energia acaba

A franquia Five Nights At Freddy's rendeu alguns sustos bem memoráveis, mas quase nada se compara àquela vez no primeiro jogo em que a energia do escritório acaba e você se vê diante da tensão de uma tela preta que não muda.

Isto é, não muda até o Freddy pular na câmera do jeito mais horrendo possível, com um grito que dói até na alma. E tem gente que joga isso em VR!!

7) Silent Hill – O corpo no armário

Em menos de 30 segundos, uma aula em narrativa de terror: a caminhada até o armário, a lenta abertura da portinhola, a mensagem de "Nada dentro" trazendo uma falsa sensação de alívio e, por fim, o susto inesperado com o corpo caindo de outro armário. Bravo!

8) Until Dawn – O fantasma

Este jump scare acontece quando você está andando com Ashley e Chris e abre uma porta.

Assim como vários outros jump scares do game, ele joga sujo com você, arremessando tudo que é assustador na sua cara de uma vez (fantasma deformado, grito, música etc.).

Mas ser um truque barato não significa que não seja um truque efetivo. Dê uma olhada nos vídeos do YouTube coletando jump scares do jogo e veja nos comentários quantas pessoas relatam ter surtado depois deste momento.

9) F.E.A.R. – Garotinha Alma na escada

Alma é a garotinha fantasma que aparece repetidas vezes para seu personagem ao longo deste game.

O que torna esta aparição especial é que:

1) ela acontece no meio do jogo, depois que você já subiu e desceu escadas várias vezes sem nada acontecer e, portanto, se sente seguro ao fazer isso

2) há um segundo jump scare logo que você chega ao chão.

A ausência de música torna tudo pior!

10) P.T. – A aparição de Lisa

P.T. era para ser um teaser de um jogo maior, Silent Hills, mas o projeto acabou cancelado.

O que sobrou para o público (ou, mais especificamente, pra quem baixou e não deletou do PS4, já que P.T. foi retirado de circulação) foi esse pedaço do que poderia ser.

E que pedaço! Só uma mente insana como a de Hideo Kojima poderia ter gerado um jogo tão eficiente em aterrorizar o público.

Você explora uma casa cheia de sombras e ângulos fechados tentando achar uma saída. A tensão se acumula conforme sons estranhos, efeitos de luz e outros elementos entram em ação. A todo momento, uma certeza: você está sendo seguido por alguém.

É justamente por criar tanto momento que a entrega de P.T., quando finalmente mostra a assombração, é tão satisfatória: você já está tão exausto pela tensão constante que não consegue mais se preparar para o medo como no começo. E aí o susto é muito maior.

Um jogo que consegue mexer com seus nervos assim merece palmas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre o Autor

Victor Bianchin é jornalista, já foi editor da revista Mundo Estranho e escreveu um almanaque de games. Ele tem um Rush de estimação e considera a técnica do button mashing algo subestimado.

Sobre o Blog

Em Control Freak você vai ficar por dentro das curiosidades, bizarrices e polêmicas saudáveis do universo dos games.