Topo
Control Freak

Control Freak

Categorias

Histórico

Surpresa desagradável: 8 easter eggs dos games que acabaram em polêmica

Victor Bianchin

14/08/2019 08h00

A inserção de easter eggs era mais divertida quando a internet era rudimentar e a informação, escassa. Hoje em dia, qualquer segredo que um programador esconda em um game é logo descoberto pela comunidade e espalhado aos quatro ventos nos Reddits, Twitters e YouTubes da vida. Ser o descobridor do segredo virou mais importante que o segredo em si.

Mas, às vezes, o easter egg dá ruim acidentalmente e gera histórias boas para compartilhar. Confira 8 casos que deram muita dor de cabeça para os envolvidos.

1) Piada com presidente chinês faz game ser retirado do mercado

Devotion é um game chinês lançado em fevereiro deste ano e que conquistou boas críticas na mídia especializada. No entanto, a descoberta de um easter egg político pode ter colocado tudo a perder para seu estúdio criador, a Red Candle Games.

O atual presidente chinês, Xi Jinping, costuma ser zoado no país por uma suposta semelhança com o personagem Ursinho Pooh. Em 2017, cansado dos memes, o governo chinês começou a censurar o Ursinho Pooh no país. O filme Christopher Robin foi vetado de passar lá e, se você tentasse digitar o nome do personagem no WeChat, o app de mensagens mais usado na China, por exemplo, você recebia uma mensagem de erro.

Apesar disso tudo, algum desenvolvedor espertinho da Red Candle achou que seria uma boa ideia incluir uma zoeira com o presidente no game. Em certa parte do jogo, há uma série de pôsteres pendurados numa parede. Se você olhar com atenção, verá que um deles diz, em kanjis chineses: "Xi Jinping Ursinho Pooh idiota" (imagem acima, retirada do canal do youtuber Kouki).

Quando os gamers notaram isso, passaram a criticar o jogo e a deixar avaliações ruins no Steam – o famigerado "review bombing" – devido ao recado político. Muitos entenderam que era uma forma de o estúdio se posicionar contra o governo (e, portanto, a favor de questões delicadas, como a independência política de Taiwan, onde o jogo se passa). É possível também que o feedback negativo tenha sido causado por pessoas pagas para falar mal do produto, já que isso é uma prática comum na China.

A repercussão foi péssima para a Red Candle. A empresa se desculpou no Steam e justificou o easter egg dizendo que havia usado jargões da internet como texto falso para os cartazes, e portanto a permanência da comparação entre Xi Jinping e o Ursinho Pooh era um "acidente". Um patch foi lançado para substituir o texto. A conta do estúdio no Weibo (maior rede social chinesa) foi cancelada, e todos os vídeos do game na conta de YouTube da Red Candle foram removidos pela desenvolvedora.

Pior: dias depois, o jogo foi completamente removido do Steam. Em um post no Facebook, a empresa explicou que "Devido a problemas técnicos que causaram crashes inesperados e também por outras razões, estamos retirando Devotion do Steam para fazer uma checagem de asseguramento de qualidade. (…) Nosso time também irá revisar o material do jogo novamente para ter certeza de que mais nenhum material não-intencionado foi inserido. Esperamos que isso irá ajudar o público a voltar a se concentrar no jogo quando ele voltar". Isso tudo foi em fevereiro. No dia 15 de julho, a Red Candle anunciou no Facebook que o game não será relançado "num futuro próximo".

2) Programador revoltado inclui festa de homens seminus em simulador de voo

SimCopter é um simulador de voo lançado em 1996 e produzido pelo estúdio Maxis, que depois criaria The Sims. O objetivo era, basicamente, pilotar vários modelos de helicópteros e realizar algumas missões, como resgatar pessoas e apagar incêndios. Um dos programadores desse jogo foi Jaques Servin, que é membro do RTMark, um coletivo de artistas anti-consumo.

Quando você completava uma missão em SimCopter, o jogo colocava algumas mulheres de biquíni dançando ao redor do seu helicóptero porque, naquela época, isso era uma coisa que você podia fazer sem ser preso. Só que Servin, querendo semear alguma discórdia na coisa toda, programou também a aparição de homens de sunga nessas vitórias.

Os homens deveriam aparecer apenas em algumas datas específicas, como o aniversário de Servin e sextas-feiras 13, por exemplo. Mas, por um bug, eles começaram a aparecer bastante e, volta e meia, após realizar uma missão, você recebia como comemoração uma parada gay. E mais: você podia descer do helicóptero e beijar os homens seminus. Veja no vídeo abaixo (a partir de 8:20):

A gracinha foi descoberta dias após o lançamento do jogo e Servin foi demitido. Ele revelou em entrevistas que o RTMark pagou a ele US$ 5 mil pela pegadinha, mas que fez o que fez principalmente como protesto às condições inumanas de trabalho da Maxis, o que incluía jornadas de mais de 60 horas por semana e férias negadas – um típico relato de "crunch". O game foi atualizado para remover a piada.

3) EA é obrigada a fazer recall de 100 mil jogos por causa de vídeo escondido

Se você colocasse o CD do jogo de PlayStation Tiger Woods 99 PGA Tour Golf em um PC, você encontraria ali, entre os arquivos listados, o item "zzdummy.dat", que nada mais era do que um vídeo com o curta-metragem que iniciou a franquia South Park, chamado The Spirit of Christmas.

O que South Park e jogos de golfe têm a ver? Nada. A história que corre a internet é que o vídeo foi inserido apenas para ocupar espaço ("dados dummy" ou "dummy data") e que isso tinha a ver com o modo como os consoles liam os discos. Os dados gravados mais perto do buraco central eram lidos mais rápido, enquanto os das bordas do CD demoravam mais. Por isso, os programadores deixavam as partes importantes perto do buraco e colocavam "dados dummy" nas áreas das bordas. Ou pode ter sido tudo uma piada proposital.

O problema é que a classificação indicativa do jogo era E (liberado para todas as idades), sendo que o curta-metragem tinha violência e linguagem vulgar. A Electronic Arts, provavelmente querendo evitar polêmicas com criancinhas impressionadas, resolveu fazer um recall do jogo e substituiu as primeiras 100 mil cópias da versão do game para PlayStation, pagando bem caro pelo erro.

E aí, em 2009, Woods foi exposto na mídia por trair a esposa múltiplas vezes, o que com certeza pegou muito pior para as criancinhas do que um vídeo de South Park.

4) Programador anuncia o próprio easter egg, Nintendo remove seu jogo da loja

O jogo A Dark Room chegou ao Switch em abril e é um RPG simples baseado em texto. Seria apenas mais um jogo pequeno escondido na eShop se um de seus programadores, Amir Rajan, não tivesse vindo a público semanas depois revelar um easter egg que ele colocou em segredo. Se o jogador inserisse um teclado USB no console e apertasse a tecla "~" enquanto o jogo estivesse rodando, ele poderia acessar uma máquina virtual que permite codificar em linguagem Ruby.

Na prática, tudo que a máquina virtual podia fazer era criar formas geométricas e tocar alguns arquivos de áudio. Mas a ideia de alguém poder escrever linhas de código livremente em seu console foi demais para a Nintendo, que removeu A Dark Room da eShop.

Em uma entrevista ao site Eurogamer, Rajan disse estar frustrado com os acontecimentos. "Eu me arrependo muito de como isso estourou", ele declarou. "Um ambiente seguro para brincar foi taxado como um exploit gigante. E é claro que é a comunidade que usa esses exploits que fez a coisa chegar nesse nível. Eu também sou parcialmente culpado pelos meus posts sensacionalistas", disse.

Além de a Nintendo não trazer o game de volta, a Circle Entertainment, que distribuiu o jogo, também não ficou feliz por ter sua imagem arranhada com a gigante japonesa. "Iremos lidar com o assunto da forma adequada", disseram em um comunicado.

5) Designer revoltado coloca telefone da chefe em Gex e pede para os jogadores ligarem xingando

A melhor parte deste easter egg é que ele está relatado em um post criado em abril de 1997 por um dos programadores do jogo, Gregg Tavares, em sua página pessoal, que é atualizada até hoje! Você realmente deveria ir lá apreciar este belo monumento da internet mundial. Até os comentários estão preservados!

Basicamente, a produção de Gex, um jogo da Crystal Dynamics que saiu em 1995 para 3DO, foi bem conturbada. A empresa queria um jogo e um mascote fortes o suficiente para competir com Sonic e Mario, mas a equipe, o orçamento e o prazo eram pequenos demais. No final, a equipe estava se matando para entregar o jogo a tempo e muitas ideias tiveram que ser abandonadas pelo caminho.

Gregg conta que, certo dia, o designer principal Justin Knorr chegou ao estúdio e descobriu que uma das fases em que havia trabalhado havia sido encurtada para eliminar partes que tinham bugs. Knorr ficou possesso com a mudança e recolocou a fase no jogo secretamente, de forma inacessível pelo gameplay normal. Ele também programou no jogo uma mensagem que aparecia em certo ponto com instruções para acessar sua fase secreta.

Se você entrasse na tal fase de Gex e conseguisse terminá-la, aparecia uma mensagem mais ou menos assim, segundo o post de Gregg: "Você não achou que essa fase tinha uns trecos legais nela? Essa fase foi cortada porque a empresa não colocou você, o cliente, em primeiro lugar e só queria fazer mais dinheiro. Ligue para Madeline Canepa no número 415-555-1212 e fale o que você pensa e o que eu penso também". Canepa era a chefe de desenvolvimento de produto e o número de telefone colocado no texto era seu número real.

Para a infelicidade de Knorr, os testadores descobriram o easter egg e ele foi removido, deixando para a eternidade apenas essa ótima história.

6) Programador da Sega vaza informações para hackers usando o próprio jogo

Este aqui não é exatamente um easter egg, mas a história vale a pena.

O jogo Sega Smash Pack: Volume 1, uma coletânea de games do Mega Drive para o Dreamcast, saiu no dia 31 de janeiro de 2001, o exato mesmo dia em que a Sega anunciou que o DC seria descontinuado. Uma das causas para a derrocada do console era a facilidade com que seus games eram pirateados. O grupo hacker Echelon pirateava os jogos e os colocava online poucos dias após o lançamento oficial.

Com Smash Pack, não foi diferente: o Echelon hackeou e disponibilizou para a comunidade. Mas não foi só: o grupo também anunciou que Smash Pack era feito a partir de um emulador do Mega Drive e, seguindo algumas regras, você podia queimar uma ROM de qualquer jogo do Mega Drive em um CD e rodá-lo no Dreamcast a partir desse emulador. Isso basicamente significava uma retrocompatibilidade pirata entre os dois consoles da Sega.

Quando o Echelon anunciou isso ao mundo, havia um recado no final da mensagem: "Saudações ao Tio Sonic pela ajuda, você sabe por quê!". Na época, ninguém nem prestou atenção nisso. Muitos anos depois, porém, em 2008, dois jogadores descobriram que, entre os arquivos de Smash Pack, havia um chamado "ECHELON.txt" que continha instruções para os piratas fazerem o que fizeram. Isso mesmo: alguém dentro da Sega vazou essas informações para os hackers usando o próprio jogo.

No final desse arquivo, havia o texto "E não se esqueçam de mandar saudações ao Tio Sonic" e a assinatura "Gary". Pois quem diria, o programador principal de Smash Pack nos EUA se chamava Gary Lake e este foi seu último jogo na Sega (por que será?). Depois, ele trabalhou na Electronic Arts, na Midway e na Capcom e atualmente está na Warner.

Teorias da conspiração à parte, o que provavelmente aconteceu foi que Gary percebeu que o Dreamcast iria morrer em breve e quis estender sua vida útil dando essa dica para a comunidade.

7) Insomniac coloca proposta de casamento em Spider-Man, descobre que o relacionamento estava condenado

Esta história é bem conhecida, mas não poderia faltar nesta lista. Em maio de 2018, o fã Tyler Schultz entrou em contato com a Insomniac para saber se ele poderia pedir a namorada Madison em casamento por meio do novo game do estúdio, Marvel's Spider-Man, que estava para ser lançado. A Insomniac, por incrível que pareça, topou a ideia. Quando o jogo saiu, em setembro daquele ano, era possível ver, no letreiro de um dos cinemas da cidade de Nova York, a frase "Maddie, quer casar comigo?".

O primeiro problema foi que Tyler e Madison já haviam terminado. Ele subiu um vídeo ao YouTube explicando a situação e dizendo que Madison o havia trocado por seu irmão. "Esse pode entrar para a história como o easter egg mais triste da história", ele diz. "Mesmo assim, fico feliz que esteja no jogo".

A partir daí, a coisa só piorou. A mídia contatou Madison e ela deu sua versão da história dizendo que "nosso relacionamento tinha problemas mentais e físicos", que o caso virou "um relacionamento de mãe e filho porque eu tinha que lembrá-lo das coisas, lidar com seus erros financeiros e seus ataques violentos" e também que ela nem gostava tanto de videogames pra começo de conversa. Ela também reiterou que não estava saindo com o irmão de Tyler.

Como a internet é a internet, Madison começou a receber ofensas e ameaças após a entrevista e deletou suas redes sociais. A Insomniac, que inicialmente se ofereceu a alterar o conteúdo da mensagem no letreiro, simplesmente parou de comentar o assunto. A proposta de casamento está lá até hoje.

8) Mistério de Banjo-Kazooie leva anos para ter frustrante desfecho

Se você coletasse todos os itens colecionáveis de Banjo-Kazooie e vencesse o jogo, o vídeo do final mostrava alguns itens secretos escondidos nas fases que você, até então, não tinha como saber que estavam ali. Esses itens eram 6 ovos misteriosos e uma chave. Intrigados com essa mensagem, alguns jogadores passaram a se dedicar a encontrar esse itens.

Um grupo chamado "Rare Witch Project" conseguiu eventualmente descobrir que, utilizando alguns cheats, você podia acessar os itens de forma legal. Coletando todos, você desbloqueava uma nova tela no menu inicial que se chamava Stop 'n' Swop. E o que essa tela finalmente fazia? Bem, nada. Você simplesmente não ganhava nada por fazer tudo isso.

Os fãs especulavam que se tratava de alguma coisa ligada ao "hot swapping", jargão em inglês para quando você troca de cartucho com o console ligado. Mas a Rare, desenvolvedora de Banjo-Kazooie, simplesmente se recusava a falar do assunto, mesmo recebendo milhares de e-mails perguntando. A própria Nintendo admitiu, em um comunicado, que o menu secreto existia, mas que ele não fazia nada.

A resposta só veio em 2004. O menu Stop 'n' Swop seria, originalmente, uma forma de conectar Banjo-Kazooie com sua sequência, Banjo-Tooie. Coletando os ovos no primeiro jogo, você poderia fazê-los eclodir no segundo e obter Mega Glowbos, os quais poderiam ser usados em Tooie para criar transformações nos personagens.

Só que esse recurso dependia de uma falha de hardware do Nintendo 64 que foi consertada entre os lançamentos dos dois jogos. Antes do conserto, você tinha 10 segundos para trocar os cartuchos. Depois, você só tinha um, tornando a façanha impossível. Por isso, tudo que era referente ao Stop 'n' Swop foi cancelado e os ovos foram inseridos dentro da própria jogabilidade de Tooie. E os fãs passaram anos e anos tentando decifrar o mistério…

BÔNUS: Se você conseguir voar alto no mundo Terrydactyland e ajeitar a câmera no ângulo certo, você consegue ver isto:

Eis aí um easter egg bem mais fácil para as crianças decifrarem!

Sobre o Autor

Victor Bianchin é jornalista, já foi editor da revista Mundo Estranho e escreveu um almanaque de games. Ele tem um Rush de estimação e considera a técnica do button mashing algo subestimado.

Sobre o Blog

Em Control Freak você vai ficar por dentro das curiosidades, bizarrices e polêmicas saudáveis do universo dos games.